Google+ Cinema e Mídia

Social Icons

twitterfacebookgoogle plusrss feedemail

Featured Posts

Amor.

Michael Haneke mostra sua visão sobre velhice e amor

4 exemplos do cinema brasileiro

Febre do rato, Natimorto, Paraísos Artificiais, Natimorto

Quatro bons filmes argentinos

para apreciarmos um bom cinema.

Tabus sexuais no cinema

Depois de Shame, outras produções abordam o tema.

O Mestre

Com atuações espetaculares e roteiro metafórico, filme de Anderson fala sobre religião e vazios.

quinta-feira, agosto 14, 2014

Produções Amazônicas

Dois bons curtas produzidos na Amazônia foram exibidos no Sesc Amazônia das Artes, no Sesc Arsenal em Cuiabá (MT). Um do Pará e outro do Acre. A qualidade técnica e a criatividade dos realizadores mostra que não deixa nada a desejar em relação às produções do eixo sul-sudeste.

Muragens, crônicas de um muro
(Andrei Miralha, ani., Pará, 2009, 12min)
Muragens –Crônicas de um Muro faz uma intereferência ficcional num recorte urbano real, o entorno do muro dos fundos do cemitério da Soledade, em Belém do Pará. Apresentando situações diversas, pequenas narrativas – crônicas – nas quais o devaneio, o Non Sense, o caráter fictício da animação marcam a contação delas.



Parte 1

Parte 2




Awara Nane Putane, uma história do cipó 
(Sérgio Carvalho, ani., Acre, 2012, 23 min.)
Curta-metragem que conta o mito de origem do uso tradicional da ayahuasca, na versão da etnia yawanawa, que vive no coração da floresta amazônica, nas margens do Rio Gregório, no Acre. O curta é todo falado em idioma yawanawa, povo que pertence ao tronco linguístico Pano.


Teaser



segunda-feira, agosto 11, 2014

Juliette Binoche estrela filme sobre estudantes prostitutas

Assessoria - Em sua última reportagem para uma revista de prestígio, jornalista mergulha em uma rede de prostituição guiada por duas jovens universitárias em “Elles” (Elles, 2011), de Malgorzata Szumowska, atração dessa terça-feira, 12/08, às 19h, no Cine Sesc Arsenal.  

O filme integra programação do oitavo ano de exibições do “Imagens em Pauta”, projeto realizado pelo Sesc Mato Grosso em parceria com a Pró-reitoria de Cultura, Extensão & Vivência, Cineclube Coxiponés e Departamento de Comunicação Social da Universidade Federal de Mato Grosso. Cada sessão é iniciada com informações sobre o filme programado. Após exibição, os participantes conversam sobre o filme e depois são convidados a tomar um gostoso cappuccino oferecido pelo Sesc Mato Grosso.


Małgorzata Szumowska

Małgorzata Szumowska nasceu em Cracóvia, Polônia, em 1973. Ela passou dois anos estudando História da Arte na Universidade Jagiellonian, antes de começar os estudos de cinema. A diretora se formou na célebre faculdade de cinema de Łódź, onde também estudaram os cineastas poloneses mais conhecidos internacionalmente: Andrzej Wajda, Roman Polanski e Krzysztof Kieślowski. Ainda estudante, Szumowska fez seu primeiro curta-metragem, “Cisza” (Silêncio), documentário em que tentou capturar a vida simples de uma família rural polaca.

Szumowska trabalhou também como co-produtora de “Anticristo”, filme de Lars von Trier lançado em 2009. Em 2011, ela terminou seu primeiro projeto internacional, “Elles”, estrelado por Juliette Binoche. A estreia mundial de Elles ocorreu no Festival Internacional de Toronto. Em 2013, por “Em nome de...”, recebeu o Prêmio Teddy de Melhor Filme com Temática LGBT no 63º Festival Internacional de Berlim.

Sobre o filme
Jornalista de uma grande revista voltada para o público feminino, Anne (Juliette Binoche) trabalha em uma matéria sobre a prostituição estudantil. Ela consegue os depoimentos de duas estudantes de Paris, Alicja (Joanna Kulig) e Charlotte (Anaïs Demoustier), que abrem suas vidas sem pudor ou vergonha. Tais confissões acabam ecoando no dia a dia de Anne e interferindo em seus relacionamentos pessoais.
 
Diferindo do comum retrato onde a prostituição representa o único caminho possível para fugir da miséria, em “Elles” a cineasta Malgorzata Szumowska constroi um filme no qual as personagens escapam de um olhar que as vitimize ou as condene moralmente. Aqui, a vontade própria parece guiar as decisões dessas garotas que Anne encontra em sua pesquisa.

Próximo filme
Na próxima semana, o Imagens em Pauta continua o “Ciclo Cinema Francês Recente” com a exibição de “Um estranho no lago” (França, 2013, 92 minutos), de Alain Guiraudie. Não perca! Se você deseja ser avisado sobre as exibições do projeto envie um email para imagensempauta@gmail.com com a informação “Cadastrar e-mail”. Para outras informações, siga o “Imagens em Pauta” no Twitter: @ImagensEmPauta.

Sobre o Sesc Arsenal
O Sesc Arsenal é um centro cultural que conta com espaços como Biblioteca, Banco de Textos de Artes Cênicas, Teatro, Centro de Difusão e Realização Musical, Galeria de Arte e Choperia. Confira as atividades culturais que este centro cultural oferece através do blog www.sesc-mt.blogspot.com ou pelo telefone 3611 0550.

A programação do “Imagens em Pauta” é gratuita e direcionada aos curiosos e interessados em cinema. Endereço: Rua Treze de Junho, s/nº, bairro Porto (amplo e seguro estacionamento com entrada pela rua lateral). Atenção: o estacionamento do Sesc Arsenal é gratuito para pessoas que participam das atividades culturais e recreativas da unidade (incluindo Choperia e Bulixo). É preciso carimbar o ticket de estacionamento para isentar o pagamento da taxa.


Serviço
O quê: Elles
Direção: Malgorzata Szumowska
Quando: Terça-feira, 12 de agosto, às 19h00min
Onde: Cine Sesc Arsenal
Classificação indicativa: 16 anos
Entrada Gratuita

segunda-feira, agosto 04, 2014

Biografia de Gainsbourg no Imagens em Pauta

Assessoria - Nos anos 1960, Serge Gainsbourg é apenas um jovem poeta que vaga pelas ruas de Paris, decidido a abandonar a pintura para cantar em clubes noturnos em “Gainsbourg, o homem que amava as mulheres” (Gainsbourg: vie héroïque, 2010), de Joann Sfar, atração dessa terça-feira, 05/08, às 19h, no Cine Sesc Arsenal.        

O filme integra programação do oitavo ano de exibições do “Imagens em Pauta”, projeto realizado pelo Sesc Mato Grosso em parceria com a Pró-reitoria de Cultura, Extensão & Vivência, Cineclube Coxiponés e Departamento de Comunicação Social da Universidade Federal de Mato Grosso. Cada sessão é iniciada com informações sobre o filme programado. Após exibição, os participantes conversam sobre o filme e depois são convidados a tomar um gostoso cappuccino oferecido pelo Sesc Mato Grosso.

Joann Sfar nasceu em Nice, França, em 1971 e sempre foi fã do cantor. “Ele era o único cantor francês com atitude. Quando ligava TV na França, na década de 1970, ele era o único cara que se referia a sexo, álcool e a falta de sentido na vida, por isso era muito atraente. Ele era o cara que fazia você sonhar em como seria legal ser adulto”, disse em uma entrevista ao Los Angeles Times.

O projeto foi originalmente concebido para que Charlotte Gainsbourg - filha de Serge na vida real e atriz conhecida pelas suas parcerias com o diretor Lars Von Trier -, pudesse interpretá-lo. O filme deveria ganhar um tom ainda mais surreal com jeito de conto-de-fadas. Porém, após seis meses de ensaios e preparação, Charlotte abandonou o projeto, alegando que estava sendo emocionalmente doloroso para ela e, portanto, Sfar teria que fazer seu "belo filme" sem sua presença. Sfar estava decidido a abandonar o projeto quando ficou encantado pelo ator Eric Elmosnino e seguiu adiante.

Sobre o filme

“Gainsbourg, o homem que amava as mulheres” traz um olhar, às vezes factual, às vezes fantasioso, acerca da vida de Serge Gainsbourg (Eric Elmosnino), desde seu nascimento, em 1940, na Paris ocupada pelos nazistas, passando pelos seus bem-sucedidos anos como cantor e compositor na década de 1960, até sua morte em 1991, com 62 anos.

O filme é adaptado da graphic novel escrita pelo próprio diretor Joann Sfar. A animação da abertura também é baseada em desenhos feitos por ele. De modo geral, a crítica especializada avaliou positivamente a obra, classificando-o como um feliz retrato da vida desmedida do mais controverso dos cantores franceses.

Próximo filme

Na próxima semana, o Imagens em Pauta continua o “Ciclo Cinema Francês Recente” com a exibição de “Elles” (França, 2012, 110 minutos), de Malgorzata Szumowska. Não perca! Se você deseja ser avisado sobre as exibições do projeto envie um email para imagensempauta@gmail.com com a informação “Cadastrar e-mail”. Para outras informações, siga o “Imagens em Pauta” no Twitter: @ImagensEmPauta.

quarta-feira, maio 21, 2014

A Evolução dos Efeitos Visuais


Compilação muito interessante sobre a evolução dos efeitos visuais. Quase todos os filmes são dos Estados Unidos, mas ainda sim, um deleite às técnicas.

quinta-feira, março 20, 2014

Veja 1001 filmes em 10 minutos

Uma seleção de "1001 filmes para ver antes de morrer" em dez minutos. Edição interessante e um desafio instigante em reconhecer os que você já viu e os que quer ver.




sábado, março 15, 2014

Cuiabá e Rondonópolis recebem Mostra Encontro com o Cinema Alemão


O Sesc Mato Grosso, em parceria com o Goethe Institut, traz para Cuiabá e Rondonópolis um panorama do cinema alemão, com filmes produzidos no final do século XX e início do século XXI. Ao todo, são dez produções prestigiadas como Adeus, Lenin!, de Wolfgang Becker e Yella, de Christian Petzold. 

Em Cuiabá, a Mostra, que é uma ação do calendário da Temporada Alemanha + Brasil 2013-2014 acontece no Sesc Arsenal de 19 a 23 de março. Já no Sesc Rondonópolis a programação começa já na segunda (17) até sábado (22). As faixas etárias dos filmes variam de 12 a 16 anos.



segunda-feira, março 03, 2014

Oscar 2014: quase sem surpresas

A cerimônia do Oscar 2014 optou por uma linha mais politicamente correta e "democrata" ao diluir seus principais prêmios para vários bons filmes. Gravidade ganhou 7 estatuetas, em sua maioria prêmio técnicos, além do esperado melhor direção. "12 Anos de Escravidão" ganhou força nas últimas semanas e além de melhor filme, venceu também com melhor atriz coadjuvante e roteiro adaptado.

O injustiçado "Ela" de Spike Jonze ao menos venceu com o Oscar de roteiro original, e "Blue Jasmine" deu a estatueta a Cate Blanchet, apesar do período nebuloso para Woody Allen. Faltou premiar "Inside Llewyn Davis - Balada de Um Homem Comum ", dos Irmãos Coen e "Nebraska", de Alexander Payne. Mas o grande perdedor, mesmo, foi "Trapaça", que mesmo com 10 indicações e dirigido pelo novo queridinho de Hollywood, David O. Russell, não levou nada.

 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.