Google+ Cinema e Mídia: Besouro Verde

Social Icons

twitterfacebookgoogle plusrss feedemail

terça-feira, junho 21, 2011

Besouro Verde

Não entendi porque tantas críticas negativas ao filme Besouro Verde e aos seus principais realizadores, o ator Seth Rogen (Pagando bem, que mal tem?) e o diretor francês Michel Gondry, dos ótimos Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças e Rebobine, por favor! Apesar de várias confusões na produção do filme, com troca de diretores e roteiristas, o resultado que tinha tudo para ser catastrófico, se mostrou bem interessante.

Tão interessante que não tenho receio em afirmar que é tão bom ou superior, por exemplo, a Homem de Ferro ou Sherlock Holmes. A história de um herói sem heroísmo, sem motivação nobre, sem poderes especiais e que seu assistente, que apesar de meio atrapalhado, é o grande herói do filme. Não conhecia o personagem nem vi a versão com Bruce Lee (muito bem homenageado neste longa) no papel de Kato, mas dá pra ver nesta produção várias referências satíricas a vários personagens de HQs: ricaço e mimado como Tony Stark/Homem de Ferro, trabalha num jornal como Clark Kent/Superman. É atrapalhado que nem o Peter Parker/Homem-Aranha e é mulherengo e tem um carro irado do mesmo jeito que o Bruce Wayne/Homem-Aranha.

Cameron Diaz está bem no filme e Christoph Waltz, que se não chega a roubar o filme como fez em Bastardos Inglórios, é um vilão bastante cruel e engraçado, o que quase suaviza algo que realmente achei exagerado: o número de mortes.Ainda que quase sem sangue, essa banalização em uma comédia de heróis ficou meio estrambólica, assim como os dez primeiros minutos do filme, que não é dos melhores.

Mas no balanço geral, Besouro Verde é ágil, criativo onde o foco está na história da construção de uma amizade e um amadurecimento ainda que tardio de um homem limitado pela opressão do pai mas também por sua fraqueza moral.

Não é um grande filme como os dois últimos Batman ou a trilogia Homem-Aranha, mas tem sua importância. Se é para malhar filmes de HQs, vamos nos ater às porcarias de verdade como O Motoqueiro Fantasma e O Vingador, qualquer uma das versões.


Nota 7,5


Curta o cinema e mídia no Facebook clicando aqui
Siga no Twitter clicando aqui

2 comentários:

Deroní Mendes disse...

Que bom vê-lo atualizando o blog. Já tava com saudades

Confesso. Estava com um certo receio de assisti-lo. Mas, me surpreendi. Muito mais legal do Homem de ferro.

Bem, humorado. No começo foi meio paradão mesmo. Prá mim o Christoph Waltz no papel do vilão que não assusta ninguém e o Kato roubaram a cena.

Assistiria denovo o filme. Só que desta vez legendado. O Christoph Waltz é ótimo, um desperdício assisti-lo dublado. Ninguém o faz a altura.

O que acha, vamos assistir?

bjus

Andre Alves disse...

Eu também estava, Dê. Mas a correria não estava deixando.
Eu não estava muito receoso pois o diretor é bom e com Christoph Waltz seria impossível ser ruim. Mas o cara que fez Kato também surpreendeu.

vamos ver legendado sim, esse e muitos outros...

 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.