Google+ Cinema e Mídia: Feios, sujos e malvados

Social Icons

twitterfacebookgoogle plusrss feedemail

segunda-feira, junho 20, 2011

Feios, sujos e malvados

Um dos principais diretores italianos, Ettore Scola, consegue fazer verdadeiras análises sociológicas em suas produções. Pelo menos foi assim em O Baile e em Feios, Sujos e Malvados. Nessa produção de 1976, Scola mostra uma favela em Roma onde mais do que a miséria, a sujeira da comunidade e a sujeira moral tomam conta.

A história é centrada em Giacinto que após um acidente recebe uma indenização do governo e ele precisa esconder o dinheiro pois sua família, incluindo esposa, dez filhos, noras, genros e netos querem pegar. Detalhe: todos moram numa pequena casa caindo aos pedaços, onde vivem amontoados.

Quem dera esse retrato social fosse tão simples assim. Giacinto é um canalha. Tem uma certa quantia de dinheiro mas vive na miséria, passa o dia bebendo, paquera todas as mulheres da comunidade e em certo momento leva uma amiga para casa e faz a esposa aceitar a nova condição. Os filhos também não são bons. Além de quererem roubar o pai, tramam inclusive, com a ajuda da mãe, a morte do pai e tem relações incestuosas.

Os vizinhos não são diferentes. Uma mãe se orgulha em mostrar a filha nua em uma revista masculina para os rapazes da favela. A filha, que se sente uma celebridade, também trabalha como atriz pornô. Duas senhoras têm um restaurante que também funciona como prostíbulo e interceptam mercadorias roubadas. Uma jovem adolescente cria de várias crianças deixando-as numa espécie de jaula.

Sim, o retrato é feio, sujo e malvado, da forma certeira como diz o título que mostra os efeitos colaterais do capitalismo em uma comunidade. É uma parábola da mesma forma que O Cortiço, de Aluísio de Azevedo. Mais malvado ainda é perceber como as duas obras, a do italiano, 35 anos depois e a do romancista brasileiro, decorridos 120 anos, continuam atualíssimas.

Nota 09


Curta o cinema e mídia no Facebook clicando aqui
Siga no Twitter clicando aqui

2 comentários:

Deroní Mendes disse...

ótimo. O Filme conseguiu ser cômico e trágico ao mesmo tempo. Não necessariamente nessa ordem.

Fiquei feliz que vc tenha gostado da minha sugestão. Fiquei receosa.

Eu daria 9,5 também. Não dou 10 porque são feios, sujos e malvados, rsrsrsr.

Bjus, mais atualizações, please!!!

Andre Alves disse...

Não precisa ficar receosa não... Se o filme é bom, eu gosto. E vc tem um ótimo gosto, então tá fácil.
Mas gostei também porque não sabia que era do Ettore Scola, um diretor que gostei muito quando vi O Baile, que ele fez anos depois dos feios, sujos e malvados.
Dessa vez é a minha vez de convidá-la a assistir este outro filme.

Aceita?

 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.