Google+ Cinema e Mídia: A Outra História Americana

Social Icons

twitterfacebookgoogle plusrss feedemail

segunda-feira, julho 11, 2011

A Outra História Americana

É triste perceber que depois de quase 15 anos o enredo de A Outra História Americana continue tão atual... no Brasil, em várias partes da Europa e nos Estados Unidos. Dirigido por Tony Kaye no primeiro grande papel de Edward Norton o filme mostra a trajetória Derek, um skinhead que após matar friamente dois negros e cumprir pena por (apenas) três anos tenta impedir que seu irmão (Edward Furlong) siga o mesmo caminho.

Derek teria se tornado um neonazista após a morte do pai quando se aproximou de um perigoso racista que viu no jovem a pessoa certa para formar um grupo de skinheads no subúrbio de Los Angeles. Os argumentos não são apenas raciais mas também religiosos. Na visão dos radicais somente arianos protestantes seriam merecedores de viverem nos EUA e que negros, asiáticos e latinos estragam a cultura americana.

É somente na cadeia que Derek percebe que suas convicções são extremamente falaciosas quando faz amizade com um negro que cumpria pena de seis anos por ter roubado uma TV enquanto que ele cumpria três por ter matado dois negros. Ele também percebe que seus ideais etnocêntricos são uma forma deturpada e doentia de analisar a sociedade quando é violentado por seus próprios pares.

Ao sair da cadeia seu irmão está seguindo mesmo caminho radical, mais por ver no irmão mais velho um modelo de homem do que por convicções reais. A luta de Derek pode ser tardia, pois os conflitos raciais cresceram muito na sua ausência e seu irmão já trilhara um longo caminho equivocado.

É importante frisar também que o filme aborda, com essa história, que a origem do racismo e do preconceito nasce antes em casa do que nas ruas. Os irmãos seguiram uma trajetória torta em grande parte porque seu pai, que morrera como herói (um bombeiro em serviço), era racista, muito embora isso não fosse tão evidente para os dois irmãos e sua mãe. Apenas sua irmã mais velha percebia e tentava argumentar mas talvez por ser mulher numa família racista e provavelmente machista não tivesse voz.

E é essa abordagem perigosa que vemos crescendo, por exemplo, no Brasil contra negros, índios e homossexuais. Os argumentos de que negro quando fica rico quer casar com uma loira, que os índios têm muita terra ou que está na moda ser homossexual são tão preconceituosos quanto os defendidos pelos skinheads de A Outra História Americana.

Uma grande diferença é que o “nosso racismo” e o “nosso preconceito” são muitas vezes velados, travestidos de argumentos como “eu tenho um amigo (negro/índio/gay) mas...”. E não se usa mais os cabelos raspados da década de 90 e sim políticos proeminentes como Jair Bolsonaro e muitos outros.

E se antes a tática era raspar a cabeça para que todos soubessem quem eram os neonazistas, agora a estratégia é outra. A idéia é se misturar na sociedade para tentar influenciar as pessoas com seus argumentos estúpidos. E o pior é que tem muita gente aceitando isso!

Curta o cinema e mídia no Facebook clicando aqui
Siga no Twitter clicando aqui

15 comentários:

Anônimo disse...

Não sou a favor do preconceito, a não ser dos viados.

Andre Alves disse...

Olá, anônimo. É lamentável o preconceito contra minorias, inclusive contra homossexuais. É uma pena, realmente!!!

Anônimo disse...

cara... acho esse post incrivel, o filme é realmente atual (apesar de ter sido lançado a 15 anos atras), a atuação do Edward Norton está impecavel tb! cara, eu costumava achar que a culpa de preconceitos e entre outros era da midia... globo principalmente... hj eu acho que ela tem sua parcela de culpa... mais a propria socieade é a maior culpada disso... acho lamentavel uma pessoa dizer que nao concorda com preconceitos... somente com os gays... porém, é a sua opnião ne...

Anônimo disse...

"Os argumentos de que negro quando fica rico quer casar com uma loira, que os índios têm muita terra ou que está na moda ser homossexual "


Você foi meio infeliz nessa declaração. Não tenho preconceito nenhum contra etnias, opções sexuais etc. Mas realmente tá na moda ser gay, de uns meses pra cá ser gay é cool, segundo a midia. Por que há uns anos atrás não era? Isso é ridículo. Isso é modismo. Já já não vai ser mais cool ser gay, e será cool ser outra coisa.

Muitos índios chefes de suas tribos são extremamente gananciosos, interesseiros e recebem milhões de reais tanto do governo quanto de empresas, legal e ilegalmente, em acordos "não oficiais". Não tenho nada contra a etnia (é bom ressaltar isso, senão os defensores da internets virão atacar), mas a ganância de muitos caciques é algo triste, principalmente pros índios que mantêm seu padrão de vida desde antes do descobrimento.

Andre Alves disse...

Olá, anônimo2. Que bom que gostou do post e realmente agradeço o seu comentário!, mas o grande mérito é o filme ser altamente reflexivo.

Andre Alves disse...

Olá, anônimo3. Desculpe-me mas tenho que discordar de ti. Não consigo acreditar que alguém seja gay por modismo. É tão estranho esse argumento...
O que está acontecendo é que as pessoas estão se sentindo mais a vontade de assumir sua sexualidade e isso tem que ser visto como algo positivo e não como modismo.


Quanto aos caciques, meu amigo. É claro que tem os gananciosos, mas são poucos. E entre os que não são índios não tem gananciosos? é bom separar o joio do trigo, mas acho que a sua observação não exclui o meu ponto de vista!

Anônimo disse...

Nós somos obrigados a ficar de boca fechada quando vemos coisas erradas, até lei fizeram para que não possamos dizer que ser gay é errado, só não me preocupo muito pq todos vão para o inferno.

Andre Alves disse...

Olá, anônimo4. Mas porque ser gay é errado? Por que algumas pessoas se preocupam tanto com a sexualidade das outras pessoas? Cada um tem o direito de ser o que é e pronto!

valder disse...

sou um brasileiro "pardo" como diz o ibge, não tenho preconceito com etnias. Acho que o grande teste para quem tem filhos,só para quem realmente já os tem, é pensar "e se meu filho for gay ou minha filha casar com um negro ou ou ou? fiz esse teste e sou homofobico, mas tento mudar isso todo dia.

Andre Alves disse...

Olá, Valder. Realmente é interessante o que você diz. Eu já fui bastante preconceituoso mas trabalhando há mais de uma década com projetos sociais e ambientais minha visão muito muito. Ser casado com uma pessoa incrível me ajudou bastante também. Ainda bem, pra mim pelo menos.

Acho que esse teste não é só pra quem tem filhos (eu tenho 2) mas pra quem é filho, tem irmãos ou amigos ou é casado ou vai casar. Consegue imaginar quanta gente não levou adiante um namoro porque a pessoa em questão era gorda, ou tinha algum defeito físico, ou era negra, ou albina, ou teve experiências mais ousadas?

Eu não me preocupo sobre a sexualidade dos meus filhos, amigos, irmãos, parentes. Eu quero que eles tentem ser felizes e que ajam de acordo com suas vontades e consciência.

Pra mim, é isso o que realmente importa!

Anônimo disse...

nem muito ao mar nem muito a terra,que ta na moda ser homossexual,tem um pouco de verdade e também que todo negro quando fica rico casa com uma loira também,oque nao podemos é generalizar

Andre Alves disse...

Olá, anônimo5. O que vc disse é puro preconceito, pois se não precisa generalizar, pra que destacar. Se há esses exemplos, também há o contrário. Está na moda ser homofóbico e na moda ter ciúmes de negros que se casam com loiras.

E analisando desse ponto de vista, como fica a sua visão?

khet burning disse...

interessante ,andre alves,hoje em dia
ehiste muitos grupos new nazista enclusivos no brasil, como você vê isso, a ssim como no filme os chefoes sao gente mais velha que comanda um monte de meninos,por que tanto odio , eu acho que o amor é a unica coisa que falta ,e deus

Andre Alves disse...

Olá Khet,
os grupos neonazistas são mais um reflexo do conservadorismo, fraqueza moral e um sentimento imbecil de superioridade. Como não há argumentos consistentes, aflora a raiva.

Amor a si mesmo e ao próximo deve faltar. Quanto a Deus, não sei, cada um deve saber dentro de si do que precisa. Eu mesmo não sou religioso. E há muitos que usam a religião como desculpa para serem intolerantes.

PS. Grato pela visita ao meu blog.

dan disse...

eu acho que e falta de respeito mesmo ,se vc de uma educacao legal para nosssos filhos tipo conversa com eles acho que e por ai que estaremos criando uma sociedade melhor,sem poblemas de nazismo ou coisa parecida ,vou falar algo nada aver é eu e uma amiga estavamos fazendo uma wiki sobe filme de horror e vc ten muito conhecimento em filmes vc poderia me ajudar qual quer um pode editar é so entrar nesse endereço aqui se vc ou alguen quiser ajudar e se juntar a nos ta qui o endereço
http://pt-br.filmesdehorror.wikia.com/wiki/Wiki_Filmes_de_horror

 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.