Google+ Cinema e Mídia: Redenção

Social Icons

twitterfacebookgoogle plusrss feedemail

segunda-feira, abril 09, 2012

Redenção


O diretor alemão Marc Foster quando surgiu no cenário hollywoodiano com a Última Ceia, em 2001, parecia uma grande promessa com aquele ótimo filme. Continuou muito bem com o sensível Em Busca da Terra do Nunca, passando por A Passagem, Mais Estranho que a Ficção e O Caçador de Pipas, filme que o lançou para as produções milionárias. Em sua estreia blockbuster não foi bem: 007 – Quantum of Solace é confuso na maioria das vezes.

Redenção poderia redimir Marc Foster pela sua escolha equivocada anterior, mas ao terminar de ver o filme sobre o ex-drogado-presidiário que se torna pastor e quer salvar as crianças do norte de Uganda e sul do Sudão a gente percebe que a cova se aprofundou.

Estrelado e co-produzido pelo limitado escocês Gerard Butler, de 300, a biografia de Sam Childers poderia ser um grande filme se tratasse com a complexidade necessária os temas apresentados: Sam é um homem que “encontrou Jesus” ou alguém que usa a religião para ser um mercenário? Quais são as verdadeiras causas das guerras civis nos países africanos? O que Sam faz realmente muda alguma coisa ou, pelo contrário, acentua?

Quando Redenção começa vemos um homem irascível saindo da prisão no interior do estado da Pensilvânia, que trata mal sua mulher (a sempre sem sal Michelle Monaghan, de Contra o Tempo) que foi recém-convertida ao protestantismo. Logo comete um assalto violento e ao dar carona ao cara errado na hora errada quase o mata. Olhando o exemplo da esposa resolve mudar de vida, “encontrar Jesus”. Ao ouvir as palavras de um missionário sobre a necessidade de ajuda humanitária na África, Sam entende que precisa ajudar as crianças africanas. No Sudão, conhece a realidade dos africanos e das ajudas limitadas de missionários e humanitários. E é aí que tem uma visão: precisa construir uma igreja nos EUA e uma creche para salvar as crianças daqueles dois países.

Seu lado religioso, “uma mensagem de Deus”, logo é distorcida por ele mesmo com a necessidade de defender “suas” crianças africanas do terrível ditador Kony – que recentemente se tornou alvo da ong americana Invisible Children, transformando-o num novo Bin Laden apelando para a “ufanista-pretensa-superioridade-ariana” de fazer o “bem”.

Ao mesmo tempo que cresce sua necessidade de proteger as crianças africanas e de "declarar guerra" a Kony, Sam se afasta de sua família, se torna cada vez mais próximo de um monstro com um ideal – ainda que distorcido – do que um missionário de fé. Ao renegar um agrado a sua única filha e se tornar, em certa medida, responsável pela morte de seu melhor amigo, mostra-se que ele está se tornando um homem cego. Tão cego a ponto de não perceber que suas ações foram percebidas pelo ditador que passou a usar crianças - que já as usava para compor o seu exército e cometer atrocidades - como iscas para eliminar Sam.

Toda essa historia poderia ter uma conclusão complexa, tal como o brasileiro Tropa de Elite que precisou ser ainda mais didático em Tropa de Elite 2. Mas em Redenção a conclusão é simples: faça o que tem que ser feito em nome do que você acredita. Melhor ainda usando armas e religião. O mesmo que já foi feito durante asCruzadas, com a maioria das guerras, que é a mesma tática do imperialismo americano nas Américas, África e Oriente Médio.

A desculpa de fazer o bem a qualquer custo é a desculpa cretina perfeita para se tornar um crápula. Assim Estados Unidos construiu Saddam e Bin Laden. A campanha viral sobre Kony indica até que este filme pode ter sido algo precursor e estrategicamente pensado.

As guerras civis na África tem causas muito mais complexas e precisam de ajuda internacional muito mais forte que nenhum Rambo pastor jamais conseguirá resolver.



Título original: Machine Gun Preacher
Direção: Marc Forster
Elenco: Gerard Butler; Michelle Monaghan; Souleymane Sy Savane; Michael Shannon
Roteiro: Jason Keller
Origem: Estados Unidos
Estreia: 2011

Trailer


2 comentários:

Anônimo disse...

Seria legal quando postar algum trailer se este estiver dublado ou legendado. Fica a dica.

Andre Alves disse...

Olá, anônimo.
Geralmente eu coloco os trailers legendados ou dublados. Nesse foi um lapso.
Mas você encontra o trailer legendado deste filme aqui: http://awe.sm/5jZ1o

 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.