Google+ Cinema e Mídia: Sherlock Holmes

Social Icons

twitterfacebookgoogle plusrss feedemail

terça-feira, janeiro 19, 2010

Sherlock Holmes

Sherlock-Holmes-poster-1 “Elementar, meu caro Watson”. Não, a expressão chavão do detetive mais famoso do mundo criado por Sir Arthur Conan Doyle não está no longa de Guy Ritchie. No entanto, elementar é a palavra que define o filme. E digo isso por ser fã do diretor, do personagem e dos dois atores principais: Jude Law (Watson) e Robert Downey Jr. no papel-título.

Achei muito interessante a atualização do personagem, mais cínico, mais bruto e até mesmo mais falível do que éramos acostumados a ver. Se bem que “ver” é mais uma expressão, pois como bem ressaltou Pablo Villaça, do site Cinema em Cena, as últimas aparições de Holmes no cinema foram em O Xangô de Baker Street, numa versão caricatural de Jô Soares e em O Enigma da Pirâmide, numa versão juvenil de Spielberg.

A recriação da suja Londres do século XIX é incrível assim como achei surpreendente a trilha sonora, cínica, quase todo o tempo, como os seus personagens. A direção acerta em não contar uma história sobre o começo do detetive, por ser muito manjada mas sim em mostrar um período em que Watson vai se casar e Holmes está de coração partido e cansado de casos fáceis de se resolver.


Mas se gostei de tudo até aqui, porque que classifiquei como elementar? Simplesmente porque o que deveria ser o central da narrativa, o suspense, em nos fazer querer desvendar o mistério e perceber o quanto somos burros e Holmes inteligente se mostrou o contrário. Matei quase todas as charadas antes do detetive e em certo momento quase pulei da cadeira e gritei: o Parlamento Britânico, o Parlamento Britânico, de tão óbvia era sua referencia.

E por falar em óbvio, o que não descobri como, a explicação era forçada: uma certa substância que reage assim ou assada... Sei não, hein? Ficou com cara de fraude! Não sei se alguém chegou mesmo a pensar que numa história de detetives haveria espaço para feitiçaria. Se pensaram, deveriam continua vendo Lua Nova...

Tenho que comentar das personagens femininas. Rachel McAdams (Irene Adler, falsária e paixão de Sherlock) atua bem, mas seu ponto vital demora a entrar nos eixos e sua motivação em ajudar o detetive no ato final do filme foi minha única surpresa, realmente deixei passar essa. Agora Kelly Reilly (Mary Morstan, noiva de Watson) é de uma inexpressividade absurda, que se tivesse sido trocada por uma boneca inflável ninguém teria notada a diferença.

No mais, o filme tem tantas assinaturas de Guy Ritchie que parece quase uma reinvenção de Snatch: porcos e diamantes. Vamos contar os mesmos elementos que tem nos dois filmes: 1) Londres; 2) porcos; 3) diamantes; 4) boxe; 5) apostas 6) cachorro engraçadinho; 7) mini flashbacks; 8) ciganos; 9) fogo... Hummm queria chegar a dez... Devo ter me esquecido de algo...

Nota 07 – (um ponto a mais por ter se livrado da Madonna... Ai, Jesus! Eu sei, a piada é velha mas o blog é meu!)

4 comentários:

Marcos disse...

Engraçado, vc pode comentar o que vc acha do filme, sinceramenete seu comentário e nota é uma ASNEIRA, o filme foi muito bom e NOTA é questão de gosto.

Andre Alves disse...

Eae, Marcos, tudo bem?
Que bom que vc achou engraçado e me deu o direito de eu poder comentar o filme. A nota também concordo que é questão de gosto, reflete o meu gosto já que o blog é meu. E se você achou que meu comentário é uma asneira, não tem problema também, já que o nome do blog é cinema e asneiras. Quer dizer que não fugi do tema.
Só não entendi porque ficou bravo se eu também gostei do filme!

Abraços

Jeniss Walker disse...

cara, que milagre eu ter encontrado um blogueiro cinéfilo de Cuiabá! espero com o passar dos dias estar seguindo seu blog - por sinal, bem joia - e linka-lo no meu rol. abraço :)

Jeniss,cinéfilo (in)útil.

http://jeniss.blogspot.com/

Andre Alves disse...

Olá, Jeniss,
que bom que vc gostou do blog... De vez em quando alguém fica bravo com meus comentários, mas faço tudo com bom humor...
Gostei do teu blog tb... E o último fime que vc viu foi Virgens Suicidas? Muito bom o filme...

Abs

 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.